Quintas de Citações

Já que essa semana falamos do senso comum sobre o que é ser feliz, as citações desta quinta serão sobre encontrar o seu caminho e, consequentemente, encontrar a si próprio.

3

4Tem como falar dessa questão de felicidade x dinheiro x realização própria sem lembrar do filme Doc Hollywood (no Brasil, “Doutor Hollywood – Uma Receita de Amor)”, com nosso querido Michael J. Fox? É a história de um médico que se envolve em um acidente em uma cidadezinha do interior e é sentenciado a cumprir um trabalho social nela. O grande objetivo dele é ir para Hollywood ser cirurgião plástico lá, mas…

Abaixo, uma cena desse filme. Parece que ele é bobinho, mas tem uma grande mensagem… pelo menos para mim. Vale a pena assistir (se é que existe alguém que ainda não assistiu).

Acho que esse é um dos assuntos que eu mais penso na vida. Não que eu ache que dinheiro e realização pessoal devam andar separados, meu ponto não é este. O que martela na minha cabeça é que, normalmente, a questão financeira é vista como o único objetivo, e quando chegamos lá, receio que o sentimento seja mais um “E agora?” do que um “Finalmente”. Coisas da (minha) vida…

Anúncios

Afinal, é melhor “ser você mesmo” em uma entrevista de emprego?

Artista: Toby Corbett

Artista: Toby Corbett

Todo mundo que já fez uma entrevista de emprego na vida já deve ter ouvido o recrutador dizer: “seja você mesmo“. Mas, afinal, até onde isso é verdade? Devemos ser nós mesmos, na busca por uma vaga no competitivo mercado?

Durante as entrevistas, há algumas respostas e posturas que são esperadas pelos entrevistadores. Não é tão difícil fingir ser aquilo que não é, criando um perfil adequado para a contratação. E então? Assunto encerrado?

Talvez seja realmente um grande clichê dizer para você ser você mesmo em uma entrevista de emprego, e um clichê, digamos, com uma dose de mentira. Como dito anteriormente, há certas atitudes e comportamentos que são esperados pelo recrutador e que, de fato, devem ser seguidas. Quando é feita uma pergunta do tipo: “Qual seu defeito?“, dificilmente alguém dirá que é ser super preguiçoso, não respeitar prazos, ter ataques de raiva (!!!)  – mas, por favor, não diga “perfeccionista”. Nem eu, que não trabalho na área de Recursos Humanos, aguento mais ouvir isso!

Porém, cuidado para não cruzar a linha tênue que separa este comportamento esperado de um comportamento totalmente manipulado e falso. Não falso apenas com o entrevistador, mas também – e, principalmente – consigo. É preciso pensar no que vem depois da entrevista e da contratação. Não é necessário quebrar tanto a cabeça para ver que, se você precisa fingir tanto ter um perfil que não tem, talvez não seja mesmo adequado para a vaga.

Enquanto você se esforça para ser alguém que não é durante uma entrevista, não percebe que tenta alcançar algo que, no fundo, você não quer. Não percebe que, talvez, de fato você não se encaixe na vaga e também não percebe que trabalhar em um lugar onde você se sinta um peixe fora d’água pode ser mais estressante do que procurar por um outro emprego.

Então, no final das contas, talvez seja melhor “ser você mesmo” em uma entrevista, porém, não pensando no recrutador; pensando, sim, em você mesmo. Quando você é quem você é, para você mesmo, sendo sincero com seus desejos e expectativas profissionais, a tendência a conseguir um emprego com o qual você realmente se identifique e, consequentemente, tenha maiores chances de se dar bem, são muito maiores. Não desperdice seu tempo e talento em algo que te levará para longe de onde você brilha de verdade.

“Ninguém que se entusiasme com seu trabalho tem alguma coisa a temer na vida.” – Samuel Goldwyn

Trabalhe com algo que você goste

Artista: Scott Simpson

Artista: Scott Simpson

Trabalhar engravatado numa grande empresa pode não ser seu exatamente o que te fará feliz, embora possa parecer a imagem do sucesso. Lembre-se: sucesso profissional nunca é completo se não for acompanhado do pessoal.

Na idade adulta, é provável que você passe mais tempo no trabalho do que em outros lugares. Portanto, é provável também que passe mais tempo com as pessoas de seu trabalho do que com sua família e amigos. É nítido ver que, se você não estiver bem com o seu ambiente de trabalho e com as pessoas que nele trabalham, será uma árdua tarefa acordar todos os dias de manhã e ir até ele.

Enfim, a vida é muita curta para passar 44 semanais de forma infeliz. Confucio já dizia: “Escolha um trabalho que você ame e não terás que trabalhar um único dia em sua vida”. E seja feliz!

Não seja escravo do seu trabalho

Artista: Roksan Kohen

Artista: Roksan Kohen

A menos que você tenha nascido em berço de ouro e não queira/precise trabalhar, ou tenha resolvido abrir mão deste mundo capitalista e de seus bens materiais, você provavelmente acabará encontrando um emprego e passará a fazer parte da parcela economicamente ativa da população.

Nos grandes centros urbanos, onde perde-se horas e horas no ir e vir ao/do trabalho, é como se você quase não existisse de segunda a sexta. Vivendo dessa maneira, torna-se difícil distinguir quem faz parte de quê – se é o trabalho fazendo parte da sua vida, ou se sua vida está, de alguma maneira, sendo resumida a seu trabalho.

Quando boa parte da sua vida desemboca no trabalho, algumas coisas passam a ser naturais, como aguentar um chefe abusivo ou um ambiente de convivência quase inóspito. Passa-se a aguentar abusos e tons de vozes alterados.

O recado de hoje é: não deixe isso acontecer. Quando notar que seu trabalho está sugando de você mais do que devia – saúde inclusive, em alguns casos – tome uma atitude. Ninguém comanda nossas vidas a não ser nós mesmos, e nada nem ninguém deve servir como âncora para o nosso bem-estar e felicidade.

“Falam de dignidade no trabalho. Conversa! A dignidade está no lazer” – Herman Melville