Você vive ou apenas existe?

Artista: Ludovic Laffineur

Artista: Ludovic Laffineur

Um amigo meu me disse: “Você poderia fazer um post sobre a frase: ‘Viver é a coisa mais rara do mundo. A maioria das pessoas apenas existe'”. Bom, aqui está o post, então! Você também pode sugerir temas entrando em contato conosco.

Oscar Wilde, indivíduo a quem foi atribuída tal frase, morreu em 1900. Se foi realmente ele quem disse a frase, uma pergunta passa pela minha cabeça: essa questão de viver versus existir não é um problema dos tempos modernos, ele vem de bem antes.  Será, então, que este dilema sempre perturbou o ser humano? Será que ele nunca soube viver de verdade?

Artista: Michał Giedrojć

Artista: Michał Giedrojć

Para cair no abismo do ‘apenas existir’, basta fazer algo que já soa como normal para grande parte de nós – basta entrar no piloto automático. Basta acordar, ir trabalhar, voltar do trabalho, dormir; basta esperar o fim de semana como se fosse a única salvação da sua lavoura; basta não agir ou reagir, apenas se deixar levar pela correnteza dos acontecimentos da vida.

E o que você tem feito para que isto não aconteça? Quais são seus objetivos de curto prazo? E de médio ou longo prazo? É fácil se perder em meio a necessidade de pagar contas e de se sustentar ou sustentar uma família, porém, é preciso estabelecer metas de crescimento pessoal. Evoluir é necessário.

Nós precisamos ser, hoje, melhores do que fomos ontem, e piores do que seremos amanhã. É preciso evoluir continuamente, é preciso desafiar a si mesmo e acreditar em uma vida completa, em uma vida repleta de realizações. É preciso acreditar que os votos que desejamos aos outros e que recebemos no ano novo e outras datas comemorativas sejam reais. É preciso abandonar frases como “no futuro será diferente” e “no momento não há nada a ser feito“.

A vida passa, e passa rápido. Não se esqueça que ao torcer para os dias passarem rápido, você acaba torcendo, inconscientemente, para que a sua vida corra. Como disse Niemeyer, “a vida é um sopro”. Não desperdice o que você não poderá recuperar.

“O homem comum não sabe o que fazer da vida e no entanto deseja outra que durará para sempre” – Anatole France

Anúncios

Seja sincero com seus sentimentos

Artista: Valery Simov

Artista: Valery Simov

Enquanto o mundo gira e o tempo passa, somos colocados à prova constantemente. É necessário ter os amigos certos, frequentar a faculdade certa, conseguir o trabalho certo. E, mais do que isso, é preciso estar feliz com o que se consegue, obrigando-se a demonstrar uma gratidão que nem sempre é verdadeira.

Assim como a gratidão, também existe a pressão de, ao cairmos, levantarmos logo. Somos pressionados a nos recuperar de coisas que só o tempo podem curar, como se um dia sofrido não fosse um dia vivido.

Estudou muito e não passou onde queria? “Comece a estudar novamente já!” Terminou um longo relacionamento? “Supere logo e parta para outra!” Seu animal de estimação morreu? “Ah, mas é só um animal, pegue outro!”

Diante de tantos imperativos, passamos a acreditar que essa história de que o tempo cura feridas é besteira, e que decepções devem logo ser superadas e gerar um novo início. É claro que, quanto antes superarmos algo, melhor; porém, o meu tempo de superação é diferente do seu, que é diferente do de qualquer outra pessoa. Não minta para si próprio fingindo estar bem quando não está; não atropele seus sentimentos sacrificando seu bem-estar por uma pressão externa.

Respeite seu tempo, recupere suas forças e, principalmente, seja sincero com os seus sentimentos. Se agora não está tudo bem, não se preocupe – daqui a pouco estará. O que não vale é deixar outra pessoa, que não você mesmo, dizer quando você precisa se levantar.

“Ninguém sabe quanto tempo pode durar um segundo de sofrimento” – Graham Greene