Até onde você iria pelos seus ideais?

Existe uma característica muito admirada nas pessoas: o fato de algumas delas lutarem arduamente pelos seus ideais. E eu não digo ideal no sentido desses nossos pequenos objetivos diários, ou de ter apenas um plano um determinada época da vida, como o post de quarta-feira dizia. Refiro-me a essas pessoas dão a vida por aquilo que acreditam e largam tudo em prol de uma causa maior.

O monge Thich Quang Duc ficou conhecido quando, em 1963, protestou silenciosamente após sentar no chão, banhar-se com gasolina e atear fogo em si próprio. O protesto era contra a repressão do Budismo no Vietnã do Sul.
Artista: Thich Quang Duc

Thich Quang Duc

Uma das coisas mais incríveis é que ele não move um músculo sequer, não grita, não faz nada além de permanecer parado enquanto seu corpo é tomado pelas chamas. Abaixo, o vídeo:

Há um tempo, eu assisti o filme “Hotel Ruanda“, e gostei muito, muito mesmo. A sinopse inteira você pode ler clicando aqui, mas vou tentar resumi-la: Ruanda enfrentava um conflito político, e como não chegava ajuda de lugar nenhum, o gerente de um hotel correu riscos para abrigar muita gente, e salvou várias vidas.

Essa é uma história real, e o gerente do hotel, que se chama Paul Rusesabagina, ajudou muitas pessoas durante esse conflito, conhecido como Genocídio em Ruanda. Essa guerra, que aconteceu em 1994, envolveu etnias inimigas que lutavam pelo poder, e matou mais de meio milhão de pessoas. Além disso, foi um conflito especialmente cruel com as mulheres, uma vez que as sobreviventes foram violentadas, e as mais de 5 mil crianças nascidas em consequência desses abusos foram, em sua maioria, assassinadas.

paul-rusesabagina-and-don-cheadle

Paul Rusesabagina (esquerda) e Don Cheadle (direira), que o interpretou em “Hotel Ruanda”

Para quem quiser ver fotos do genocídio de Ruanda, clique aqui.

E não poderíamos nos esquecer do Protesto na Praça da Paz Celestial, mais conhecido como Massacre na Praça da Paz Celestial, quando um estudante se posicionou na frente de um tanque de guerra, parando não só este como todos os outros que vinham atrás. Vale a pena assistir o vídeo:

O ponto com essas pessoas é que não se trata de apenas de protestar ou de salvar algumas – ou muitas – vidas. Trata-se de ter um ideal e ser fiel a ele até onde for preciso, não apenas defendendo-o, mas também estando disposto a viver e morrer por ele.

“Moderação no temperamento é sempre uma qualidade, mas moderação em relação a princípios é sempre um defeito.” – Thomas Payne