E o amor verdadeiro mora…

…na coexistência.

Minha concepção do que é amor mudou muito ao longo de minha vida. Hoje, beirando trinta anos, tenho uma ideia muito mais serena acerca desse sentimento.

Lembrando que tudo aqui é apenas opinião, e minha opinião.

silhouettes-582969_1280

Primeiro, o amor não é apenas romântico. Também não é apenas o familiar. Na verdade, o amor não consiste em quem você ama (pai, mãe, marido, esposa) ou na natureza do amor (familiar, amigável, amoroso, etc). Não consiste, também, no tempo de relacionamento, e menos ainda na obrigatoriedade de amar. Você não ama por ter uma vida junto, e não ama por obrigação social.

Não ama por ter se casado, não ama por favor, não ama por pena, não ama por ter que amar. Quem ama assim, não ama.

Aquele sentimento intenso ao conhecer alguém, as borboletas no estômago, a ansiedade… isto não é amor. Isto é paixão. E paixão dura, cientificamente, no máximo três anos (não acredita? veja).

Para mim, amor é quando você tem alguma atitude em prol de outro de forma genuína, livre de egoísmo e interesse. É quando você cede seu lugar no ônibus. É quando você ouve, de verdade, quem precisa desabafar. É quando você desvia de uma fila de formigas, quando dá passagem para alguém com pressa, quando você faz um programa que não gosta para alegrar outra pessoa.

O amor é leve, é simples. O amor é a intenção de fazer o bem, a pura e simples intenção.

Amar é coexistir.

“Um covarde é incapaz de demonstrar amor; isto é privilégio dos corajosos.” – Gandhi

Anúncios

Quintas de Citações

O tema de hoje certamente terá Parte 1, 2 e outras tantas… pois hoje o assunto é amor!

5

6E claro que não poderia faltar uma das melhores cenas do cinema, né? RIP Patrick Swayze!

 

Sofri para selecionar apenas três itens relacionados a este assunto. Ainda tenho tantos outros para postar!